A fim de integrar as mulheres chefes de família em situações vulneráveis, o Programa de Proteção Social promoveu o empoderamento das habilidades sociais e pessoais da família, capacitando-as na educação e no bem-estar das crianças.
Assim nasceu o projeto “Capacitação para melhor promover os direitos e o
bem-estar da família e das crianças”, o mesmo contou com vários parceiros
financiadores como Embaixada dos EUA, a Embaixada dos Países Baixos no Senegal e o IEFP. O projeto promove o empreendedorismo, a gestão de pequenos negócios e atividades geradoras de renda para assegurar a independência financeira e a
manutenção das famílias beneficiárias.

O projeto teve duas fases: a primeira foi analisar a situação das mães e dar-lhes
a formação para capacitação de competências pessoais e sociais, orientação
vocacional, formação profissional, e, a segunda fase para gestão de pequenos
negócios, como forma de criar bases para créditos maiores em ONG especificas
para tal.

O processo mostra o potencial que representa esses pequenos empréstimos para
mudar a vida das mães e suas famílias, contribuindo para uma melhor qualidade
de vida e uma transformação social das pessoas que se beneficiam direta e
indiretamente do projeto.

Diante dos resultados, podemos dizer que este projeto tem um impacto extremamente positivo na vida das famílias vulneráveis ​​e pode contribuir para o
desenvolvimento local das comunidades, particularmente do bairro de Tira-Chapéu, onde vive grande parte das famílias beneficiárias.

Resultados:

  • 25 Mães beneficiárias do projeto capacitadas e com uma auto-consciência bem sólida
    em desempenhar o papel familiar na proteção dos seus filhos e promoção dos seus direitos, na gestão de pequenos negócios e uma melhor convivência entre elas, enquanto parceiras e colegas do mesmo projeto;
  • 25 Manual do Beneficiário do Treinamento elaborado;
  • 25 Mães reconhecidas e com Certificado validado e reconhecido em todo o território
    nacional;
  • A responsabilidade das 25 mães em fazer o ​​reembolso do crédito mensalmente, o que torna o projeto sustentável;
  • A Câmara Municipal está comprometida em colaborar com o projeto em todos os aspectos que se enquadram em sua competência;
  • Pequenos negócios bem orientados com possibilidade de crescimento;
  • Acesso a mais rendimentos que contribuirão para uma melhor qualidade de vida nas famílias beneficiárias;
  • Maior interação e ajuda mútua entre os beneficiários;
  • 25 Mães conhecedoras dos processos e do próprio projeto;
  • Duas reuniões na sede do IGAE para informarem as mães sobre procedimentos legais;
  • 25 Mães beneficiárias em posse dos documentos necessários para legalizarem seus negócios;
  • Disponibilidadedo IGAE para colaborar com o projeto na legalização das atividades.